Voltar

Indústria 4.0: Como superar desafios na gestão de cadeias de suprimentos com a tecnologia 

Por: Isabella Holouka
17 de junho de 2024

A Indústria 4.0 tem potencial para revolucionar a gestão de cadeias de suprimentos globais. A utilização de tecnologias emergentes permite integrar e otimizar fluxos de bens e serviços, resultando em processos de projeção, fabricação e distribuição mais eficientes, conectados e inteligentes. 

Neste artigo, vamos refletir sobre os principais desafios da gestão de cadeias de suprimentos, apresentar algumas das principais tecnologias da Indústria 4.0 e descrever como elas podem contribuir para a formação de cadeias de suprimentos 4.0. Ao final, você poderá entender como engenheiros de produção podem utilizar este contexto a seu favor para se destacarem profissionalmente. 

Leia mais: Entenda o papel da Indústria 4.0 na administração industrial 

Desafios da gestão de cadeias de suprimentos para superar com a Indústria 4.0

A gestão de cadeias de suprimentos, também conhecida como Supply Chain Management, é um conceito fundamental relacionado à rotina operacional de um negócio. Ela envolve o gerenciamento das atividades internas e externas necessárias para que matéria-prima, produtos, serviços, informações e finanças percorram o caminho esperado e necessário, desde o início da cadeia até a entrega final.  

Portanto, o objetivo da gestão de cadeias de suprimentos é otimizar a eficiência de ponta a ponta e impactar positivamente na satisfação de parceiros e clientes ao longo do processo. Para isso, é preciso superar os seguintes desafios: 

  • Planejamento e antecipação de demanda, materiais, produção, vendas e operações; 
  • Gerenciamento do ciclo de vida de um produto, desde sua ideação até o fim da vida útil ou reciclagem; 
  • Aquisição de materiais, bens e serviços necessários, com qualidade, preço justo e valor agregado; 
  • Transporte e armazenagem de mercadorias desde o início da cadeia até a entrega final; 
  • Otimização e automatização de processos de fabricação; 
  • Gerenciamento de ativos e operações, visando segurança e manutenções preditivas e preventivas; 
  • Conformidade regulatória à legislação dos diferentes territórios com operações; 
  • Integração, colaboração e compartilhamento de informações das etapas operacionais; 
  • Fluxo contínuo de materiais, informações e valores, evitando gargalos, atrasos e interrupções; 
  • Visibilidade em tempo real sobre as operações para rastreamento, monitoramento e correção rápida de problemas. 

Além disso, vale lembrar a importância de atender as expectativas dos consumidores, cada vez mais adaptados às tendências do comércio digital. Agilidade, qualidade, oferta de opções e personalização são demandas reais e que precisam ser atendidas com toda a eficiência possível. 

Leia mais: Engenharia de produção: é assim tão diferente das demais engenharias? 

Tecnologias da Indústria 4.0 permitem coleta, armazenamento e análise de dados para produzir insights que podem melhorar a automação e a tomada de decisões
Tecnologias da Indústria 4.0 permitem coleta, armazenamento e análise de dados para produzir insights que podem melhorar a automação e a tomada de decisões

O que é a Indústria 4.0? 

Definida como a integração de tecnologias digitais a processos industriais, a Indústria 4.0 abrange soluções que permitem a criação de fábricas inteligentes. Além disso, também possibilitam personalização e tomadas de decisões mais embasadas e estratégicas. 

O conceito de Indústria 4.0 está ligado ao termo “4ª Revolução Industrial”. Desde o século 19, as chamadas revoluções industriais foram pautadas por inovações — a invenção do motor a vapor (1ª), a criação de linhas de montagem e processos de produção em massa (2ª) e o início da automação e da robótica (3ª).  

Tecnologias da Indústria 4.0

Atualmente, a revolução está concentrada principalmente na integração de sistemas e na geração, coleta e análise de informações em tempo real. As principais tecnologias da Indústria 4.0 são: 

  • Big Data: captura de dados de ativos, equipamentos e dispositivos de todas as áreas de produção e gestão da cadeia de suprimentos; 
  • IA e Machine Learning: com funções analíticas, utilizam os dados na produção de insights que podem melhorar a automação e a tomada de decisões; 
  • Integração horizontal e vertical: interligação das camadas da organização, permitindo que as informações transitem livremente entre departamentos de diferentes níveis; 
  • Computação em nuvem: facilitadora da transformação digital, fornece base para as tecnologias mais avançadas, com comunicação e coordenação em tempo real; 
  • Realidade aumentada: sobreposição de conteúdos digitais em ambientes reais para visualização de dados, peças, instruções ou treinamentos; 
  • IIOT (Internet das Coisas Industrial): uso de sensores e etiquetas RFID em dispositivos, equipamentos ou produtos, que fornecem dados sobre desempenho, localização ou condições em tempo real; 
  • Impressão 3D: além da prototipagem rápida, permite customizações e armazenamento de projetos em estoques virtuais; 
  • Robôs autônomos: com diferentes tamanhos e funções, são programados para a execução de tarefas difíceis e delicadas com o mínimo de intervenção humana. 

Contudo, é importante ressaltar a importância da segurança cibernética neste contexto com elevado nível de conectividade e uso de dados. Além de adotarem as tecnologias emergentes, as indústrias podem e devem automatizar prevenção, detecção e resposta a ameaças como violações de dados. 

Leia mais: Como o Big Data está presente no mercado? – POLI USP PRO 

Características e vantagens da cadeia de suprimentos 4.0 

De fato, as tecnologias da Indústria 4.0 impulsionam a evolução das cadeias de suprimentos tradicionais em cadeias de suprimentos 4.0.  

Então, nesse novo contexto, conceitos e metodologias viabilizam a operação de extensas cadeias de suprimentos, que muitas vezes envolvem agentes globais em diferentes localidades, com características e portes distintos.  

Dentre os benefícios da cadeia de suprimentos 4.0, os principais são a redução de custos devido aos ajustes na produção; otimização de espaço, já que as etapas de produção são executadas de maneira equilibrada; maior aprofundamento na análise de dados e desenvolvimento de estratégias. Assim, as vantagens visam, ao final, aumentar a satisfação dos parceiros e clientes e impulsionar a fidelização. 

Leia mais: O Profissional 4.0 na administração industrial 

Destaque-se em um contexto cada vez mais tecnológico 

Finalmente, ao combinar a precisão e a velocidade das cadeias de suprimentos 4.0 com a criatividade, o talento e a capacidade de inovação dos profissionais, as operações têm ganhos em produtividade, eficiência e qualidade. 

O setor industrial carece de profissionais qualificados para atuarem neste contexto complexo e de constantes evoluções, e este é mais um motivo para você investir na sua carreira profissional. Inscreva-se no MBA em Engenharia de Produção POLI USP PRO e aprenda com os melhores

Você também pode gostar desses conteúdos: 

Voltar

Posts relacionados

Por: Acacio Junior
8 de dezembro de 2023

Engenharia de produção: é assim tão diferente das demais...

Se essa é uma pergunta que você já se fez (ou faz), saiba que a resposta é sim! A engenharia de produção é uma área completamente diferente das demais e...
Saiba mais
Por: Alex de Almeida
11 de janeiro de 2023

Tecnologia blockchain no setor produtivo...

Se você nunca ouviu falar na tecnologia blockchain e não sabe como ela pode impactar na sua atuação profissional, talvez seja a hora de buscar conhecimento...
Saiba mais
Por: Alex de Almeida
2 de novembro de 2022

Ferramenta QFD:  aprenda e aplique na sua empresa...

Proporcionar uma boa experiência para os clientes tem sido a principal estratégia das empresas em um mercado cada vez mais competitivo, principalmente no seto...
Saiba mais