Voltar

Lean Six Sigma: entenda como funciona!

Por: Alex de Almeida
7 de setembro de 2022

O Lean Six Sigma é uma metodologia estratégica gerencial utilizada para reduzir variabilidades nos processos produtivos. É bastante conhecida no mundo dos negócios por se tratar de uma ferramenta importante na busca pela excelência nos processos, sendo fundamental na entrega de produtos e serviços de melhor qualidade aos clientes.

Seu nascimento foi resultado da junção de duas metodologias: Six Sigma, idealizado por Bill Smith, na Motorola, em 1986 e, a partir de 2002, a Six Sigma Academy incorporou os conceitos de Lean Production, idealizado por Taiichi Ono (1955) e James Womack (1996), formatando a metodologia Lean Six Sigma.

Essa abordagem de gerenciamento combinada está cada vez mais popular no ambiente corporativo, pois auxilia na identificação e remoção de desperdícios e variações, aumentando a velocidade e a qualidade dos processos.

Nesta matéria você vai entender como funciona a metodologia Lean Six Sigma e a importância desse recurso para a melhoria da qualidade e da produtividade. E se você quer se tornar um especialista nesse assunto, saiba que o Curso de Especialização em Qualidade e Produtividade (CEQP) da POLI USP PRO está com inscrições abertas! Inscreva-se.

Leia também: Gestão da Qualidade Total: uma importante ferramenta da qualidade aplicada à gestão!

Características do Lean Six Sigma

Para um melhor entendimento sobre esse tema, conversamos com Paulino Francischini, professor doutor e coordenador do curso de CEAI da POLI USP PRO. Francischini, especialista no assunto, destaca que “essa metodologia faz com que se atinjam níveis de defeitos de 3,4 ppm (partes por milhão) para as características críticas da qualidade.”

“O Lean Six Sigma utiliza um método estruturado para guiar o projeto de melhoria denominado DMAIC (‘Define, Measure, Analize, Improve e Control’, que, traduzido, significa ‘Definir, Medir, Analisar, Melhorar e Controlar’). Cada uma das etapas do DMAIC tem entregas definidas e exige rigor nas análises estatísticas para mostrar, por meio de análise de dados, as causas potenciais e principais do problema a ser resolvido,” comenta o docente.

Um detalhe importante que é pontuado pelo professor é que “a etapa Measure exige cuidados nos dados coletados, por meio da avaliação do sistema de medição, além de construir uma base de dados consistidos do processo atual, denominado baseline.  A qualidade dos dados coletados será fundamental para que a etapa Analyze seja eficaz.”

Qual é o diferencial do Lean Six Sigma?

Um dos objetivos dessa matéria é trazer uma resposta para essa pergunta, tendo como base o conhecimento acadêmico e a visão de mercado de um dos membros do corpo docente da POLI USP PRO.

“O Lean Six Sigma exige uma estrutura organizacional composta por um executivo líder (membro da diretoria que se responsabiliza pelos recursos necessários e pelo sucesso do Programa) e, para cada projeto, é designado um Sponsor, (em português, Patrocinador, que é alguém com a responsabilidade pelo progresso, pelos recursos necessários e pelo sucesso do projeto). Desse modo, é possível garantir o comprometimento da direção da empresa e os recursos necessários para implantar e manter o programa Lean Six Sigma,” explica Francischini.

Imagem de um líder pensando na implantação do lean six sigma
O Lean Six Sigma ajuda a implementar ações de maneira inteligente para potencializar as melhorias no processo.

Segundo o professor, o projeto de melhoria é conduzido, do ponto de vista operacional, por uma equipe formada por:

  • Black Belt: principal ator dos projetos Lean Six Sigma. Deixa a função anterior para ser um líder de projetos Lean Sigma;
  • Green Belt: auxilia ou é auxiliado pelo Black Belt em projetos Lean Six Sigma. Tem formação menor em Estatística e não deixa a função anterior;
  • Yellow Belt e White Belt: funcionário operacional da empresa e utiliza apenas as ferramentas básicas da qualidade para análise de dados;
  • Membros Convidados: funcionários operacionais da empresa, que tem conhecimento complementar do processo;
  • Process Owner (Dono do Processo): responsável pelo desempenho do processo e tem conhecimento geral do processo.

“Outro diferencial é a necessidade de mostrar ganhos financeiros a cada projeto, o que atrai os gestores das empresas para adotar essa metodologia”, ressalta o professor.

Líder apontando para a ferramenta lean six sigma
Entenda como a ferramenta Lean Six Sigma pode ajudar a melhorar o seu negócio.

Lean Seis Sigma no processo produtivo

Segundo Francischini, o Lean Six Sigma é, por definição, aplicado à melhoria de processos produtivos, podendo ser utilizado em qualquer tipo de empresa. O professor descreve as 5 etapas do método estruturado para guiar a aplicação da ferramenta (DMAIC):

  • A primeira etapa (Define) é a definição clara e concisa do problema a ser resolvido, ou seja, do objetivo do projeto Lean Seis Sigma. Isso é feito por meio de um Project Charter, ou Termo de Abertura do Projeto. Nesta etapa, compõe-se a equipe do projeto, definindo-se os itens mais importantes para o sucesso do projeto, denominados Critical to Quality (CTQs) e uma avaliação da viabilidade econômica do projeto de melhoria.

  • A etapa Measure faz a avaliação do sistema de medição, além de mostrar o comportamento do estado atual do processo, por meio do cálculo da capacidade do processo, da capacidade Sigma (cálculo do número de sigmas do processo atual) e da formatação de um conjunto de dados consistidos, denominado baseline

  • O Baseline e levantamentos complementares são analisados por meio de ferramentas da Estatística Descritiva (Histograma, Diagrama de Dispersão, Boxplot e outras). As análises das causas potenciais mais significantes são feitas por ferramentas da Estatística Indutiva (teste de hipóteses, por exemplo). A qualidade dos dados coletados será fundamental para que a etapa Analyze seja eficaz.

  • Diagnosticadas as causas, a etapa Improve requer que se coloque uma ou mais contramedidas adequadas que ataquem a causa principal: eliminando a causa principal, o efeito não volta a se repetir.

  • O objetivo da etapa Control é impedir que as melhorias implantadas não se degradem e o processo volte a apresentar o mesmo problema no futuro. Para isso, implanta o Controle Estatístico do Processo, análise de séries temporais e auditorias no processo.

Se você se identificou com esse tema e quer aprender mais sobre Lean Six Sigma e outras ferramentas e metodologias voltadas à melhoria da qualidade, saiba que o curso de pós-graduação CEQP da POLI USP PRO tem tudo isso e muito mais. Venha aprender com especialistas! Clique aqui e conheça a pós-graduação da Politécnica da USP.

Você também poderá gostar:

Voltar

Posts relacionados

Por: Alex de Almeida
10 de agosto de 2022

Gestão da Qualidade Total: uma importante ferramenta da qua...

Considerando as incertezas do cenário mundial atual, a sobrevivência de um negócio está, cada vez mais, condicionada ao aprimoramento de processos. A busca...
Saiba mais
Por: Caio Roberto
12 de julho de 2022

Aprendendo a aprender é o tema da aula inaugural de CEQP...

Quer aprender mais sobre Qualidade e Produtividade com os melhores professores disponíveis no mercado sem sair de casa? Então conheça o curso de Especializa...
Saiba mais
Por: Caio Roberto
8 de julho de 2022

Conheça a Especialização em Qualidade e Produtividade da...

O mercado demanda cada vez mais que as empresas foquem em entregar produtos de qualidade. Mas, para que um negócio seja sustentável, é preciso que os process...
Saiba mais